quinta-feira, 6 de julho de 2017

PROJETO FILOSOFIA DA PSIQUE

PROJETO FILOSOFIA DA PSIQUE

1. Sobre o Projeto Filosofia Da Psique.
           
1.1 Filosofia Da Psique é um projeto autônomo e independente, de estudos, divulgação, de conhecimentos e informações úteis à sociedade e população em geral.
1.2 Buscamos simplificar o conhecimento de modo a torna-lo acessível a um grande público, evitando deturpa-lo ou empobrece-lo.

2. Como ocorre a divulgação.

2.1 A divulgação das informações e conhecimentos, ocorre através de conversas e grupos de estudo, com pessoas interessadas nas temáticas abordadas, também através de redes sociais, nas quais se compartilham textos, áudios e vídeos.

3. Quais conhecimentos divulgamos.

3.1 Divulgamos todo conhecimento que consideramos relevante e favorecedor de um melhor convívio social e compreensão da própria história humana. Declaradamente privilegiemos o conhecimento filosófico e psicológico.

4. Somos favoráveis e incentivamos.

4.1 Apoiamos e incentivamos toda e qualquer promoção de conhecimento e informações que favoreçam as relações humanas, que combatam preconceitos, possibilitem uma maior tomada de consciência tornando as pessoas mais autônomas e independentes, facilite a quebra de alienação e de qualquer sistema que a promova.
4.2 Apoiamos em especial todo o conhecimento de qualidade, produzido com responsabilidade e compromisso teórico e metodológico, principalmente quando disponibilizado de maneira gratuita ou a baixo custo.
4.3 Toda critica embasada, com finalidade construtiva, que objetive a melhora e crescimento pessoa, intelectual, cultural e social do objeto criticado.
4.4 O questionamento fidedigno, com objetivo de aprendizado e melhoria própria e do outro.
4.5 Apresentação, construção e revisão de conceitos teóricos de qualquer área para a qual tenha estudado, lido e se empenhado para realizar.

5. Repudiamos e combatemos.

5.1 Toda forma de compartilhamento de informações fúteis, que possam denegrir a imagem de pessoas, teorias, crenças, culturas, sociedades ou organizações, desprovidas de qualquer valor critico construtivo apoiado em embasamentos teóricos, filosóficos ou e científicos.
5.2 Qualquer manifestação preconceituosa que possa gerar danos a sujeitos e promover atos ou pensamentos violentos, assim como qualquer ação que auxilie humilhações de qualquer gênero em relação a qualquer pessoa.
5.3 Qualquer forma de depreciação do trabalho alheio, desprovida de objetivo visando melhora.
5.4 Informações desprovidas de qualquer embasamento e fundamento teórico ou lógico, por menos prejudicial que elas pareçam.
5.5 Ações que favoreçam qualquer desmerecimento de pessoa, teoria, ocupação, ou posicionamento filosófico.
5.6 O uso de títulos aos quais não possua a formação cabível, ou a atribuição dos mesmos a outras pessoas sem a formação adequada.
5.7 Qualquer imposição de ideias e valores, filosóficos, teóricos e morais.
5.8 A ação deliberada de induzir a pessoa a acreditar em informações duvidosas, para as quais o próprio informante não vê credibilidade.
5.9 O plágio consciente. Quando a pessoa assume para si, a autoria de algo: textos, áudios, vídeos, ou informações, sabendo ser de autoria de outro.
5.10 Qualquer ação que favoreça a alienação.
5.11 A manipulação de informações, que não deixe claro se tratar de uma interpretação, sendo possíveis outros olhares.
5.12 A defesa de qualquer verdade absoluta.
5.13 Privilegiar, ou selecionar, qualquer pessoa, para qualquer ação, sem critérios definidos.
5.14 Qualquer ação para a qual não tenha competência e preparo teórico ou metodológico para realizar.
5.15 Sensacionalismo e vitimização de pessoas.
5.16 Qualquer forma de propaganda sobre caridade realizada.

6. Evitamos e buscamos corrigir em nós e nossos semelhantes, bem como tentamos conscientizar socialmente a respeito.

6.1 A promoção de qualquer forma de humor que gere constrangimento a pessoas vulneráveis, ou que se utilize de eventos que possam ser traumáticos e significativos para um determinado público.
6.2 Críticas, opiniões ou ideias, que não acrescentem algo de fato construtivo na vida do criticado.
6.3 Informações de pouca relevância, com maior cunho de fofoca, do que valor informativo.
6.4 O uso desnecessário de vocabulário popularmente entendido como chulo, assim como críticas descontextualizadas.
6.5 Informações vagas, que possam gerar múltiplas interpretações, causando prejuízos de qualquer natureza.
6.6 O uso de linguagem excessivamente formal, ou termos e jargões, sem dar indicações de caminho para buscar o entendimento dos mesmos.
6.7 O plágio inconsciente. Quando a pessoa assume a autoria de algo, por acreditar de fato ser inédito, por falta de conhecimento histórico, ou por distração.
6.8 A manifestação de opiniões que deixem margem para má interpretação e manipulações.

Através desse texto deixamos claro ao nosso público, nossos objetivos e propostas, para desse modo permitir a quem nos acompanha que cobre o de nós o que nos comprometemos a fazer, e possam nos corrigir quando desviarmos do proposto aqui.


Atenciosamente: João Vitor Wrobleski, Responsável pelo projeto Filosofia Da Psique.

Nenhum comentário:

Postar um comentário